Pirajá: um pedacinho do Rio de Janeiro em São Paulo

No #saturdaywithoutkids passado, nós saímos de casa para conhecer um bar novo. Tínhamos almoçado cedo e já era umas 22hs. Pensa na fome? Quando chegamos no local, olhamos o cardápio que fica na porta e putz! Não tivemos vontade de comer nada do que tinha ali.

Na esquina tinha um Pirajá, um bar carioca que só não te faz se sentir no Rio de Janeiro de verdade por não ter a brisa do mar batendo no rosto e nem o sotaque nas conversas da galera, por que de resto… Desde a estrutura do local, passando pela decoração, uniforme dos garçons e as músicas: é o Rio de Janeiro.

Fomos lá comer alguma coisa com a ideia de voltar para o destino original, mas gostamos tanto do local que terminamos a noite por lá mesmo.

piraja-05

piraja-06

piraja-00

piraja-01

piraja-03

pijara-01

piraja-02

Pedimos um dos pratos mais famosos da casa: A linguiça na cachaça com manteiga, aipim, batata doce, cebola e pão francês em rodelinhas para petiscar com cerveja (comecei com Leffe e terminei com chopp) e caipirinha de amora, manga e cachaça Pirajá (eles tem alguns produtos próprios para vender, além da cachaça, pimentas e jiló a vinagrete).

caipirinha-piraja

viviane-mclean-piraja

Gostei muito da rapidez no atendimento também. O preço é “ok”.

Odiei os garçons. Toda mulher que passava eles ficavam secando como se elas fossem um pedaço de filé da melhor qualidade e eles, cachorros de rua que estão sem comer há dias. Quando eles estavam em grupo então, era pior ainda. Achei um absurdo sem tamanho. Estamos em 2016, sabe? Fora isso tem a clara falta de treinamento profissional no que diz respeito ao tratamento dos caras com pessoas, com os clientes. Não sei se volto lá. Não gostei nada do que senti todas as vezes que precisei ir ao banheiro e passar pelo “corredor” de caras.

O Pirajá que fomos fica na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 64 – Pinheiros – São Paulo – SP e funciona de segunda a quarta das 12h à 01h, de quinta a sábado das 12h às 02h e domingos das 12h às 19h.

manoel-netto-e-viviane-mclean

Fazer um comentário