A maternidade é violenta. Ser mulher também é. Mas pode ser bem mais fácil!

Ser mãe é violento. Não se deixe enganar pelos posts fofos, olhos lacrimejantes e voz embargada.

Não pelos filhos, mas também por eles. Pelas expectativas, sonhos, medos e inseguranças confidenciados baixinho. Por ter uma engrenagem na cabeça que faz a mesma pergunta todas as horas do dia: eles serão felizes?

É violento pela sociedade. Porque é solitário mesmo acompanhada. Pelos dedos apontados. Pelas cobranças. Por nunca estar bom o suficiente. Pelas dificuldades de crescer na carreira, pelas contas que chegam, pelo cansaço ao fim do dia.

Não há férias da maternidade. Muito menos remuneradas. Nem quando eles vão pra casa dos avós. Pior ainda quando saem com os amigos.

A gente não deixa de ser mãe nem se nossos filhos partirem antes de nós. A gente segue sendo mil coisas, mas carrega a maternidade de filho ausente.

Ser mãe marca, modifica, enquadra, transforma.

E a gente sabe das rachaduras que temos em nós e nos remetem as nossas mães assim como sabemos que as rachaduras dos nossos filhos vão remeter a nós. E tudo bem: todas as pessoas que passam por nós deixam rachaduras, maiores ou menores, o importante é tomar cuidado para não deixa-las ao ponto de não poderem se curar.

Por isso tudo eu nunca diria que você tem que perdoar a sua mãe. Primeiro porque pessoas ruins também reproduzem e esse pode ser o caso. Segundo porque não faz sentido perdoar sem perdoar de verdade. O que peço é que você olhe sua mãe como uma pessoa.

Um dia você vai olhar pra ela e ver humanidade. Vai enxergar uma mulher que, como você, está tentando. Cada uma do seu jeito, mas tentando.

A maternidade é violenta, em parte, porque ser mulher também é. E se a gente cuidar uma da outra, humanizar uma a outra e for generosa tudo isso pode ser bem mais fácil.

Carol Patrocínio é mãe de Chico e Lucca. Fala de maternidade sem gênero ou amarras; feminismo com amor; respeito e diversidade. Dá palestras, workshops, grava e escreve para diversos meios e é fundadora da Comum.vc, uma comunidade de acolhimento, troca e conexão de mulher para mulher.

Fazer um comentário