Estou cansada de ser mãe

Ter uma criança é isso? Acordar antes do sol nascer – depois de ter ido dormir de madrugada – assustada com o barulho da porta do armário batendo com toda a força na parede várias vezes seguidas e se deparar com a criança dentro dele depois de jogar no chão todas as roupas que você demorou horas para lavar, passar e organizar quando finalmente conseguiu um tempo para isso?

É ouvir a cama sendo arrastada e ao chegar no quarto ver que a criança usou ela de escada para subir no guardarroupa para ficar sapateando nele?

É demorar mais de uma hora para organizar todos os brinquedos e minutos depois ela espalhar todos eles novamente e não brincar?

É não poder colocar um enfeite em qualquer lugar da casa, um lençol na cama, uma almofada no sofá pois ela joga tudo no chão?

É, na época de desfralde, chegar no quarto e ver parede, colchão novinho, móveis, etc, sujos de coco? É limpar não sei quantos xixis por dia feitos no chão?

É ser sempre uma treta na hora de comer qualquer coisa simplesmente pela criança nem experimentar e já não querer? É ela querer ficar sempre em pé na mesa? É ela nunca ficar sentada mais de 30 segundos?

É ela ficar “bambeando” a cadeira durante toda a refeição e você tendo que dar conta do barulho, do medo dela cair, de ela comer antes da comida esfriar ou a fome ir embora?

É apelar para a TV e o celular para ela se distrair e comer mesmo sabendo que não é bom comer distraída?

É ter que ficar o tempo todo alerta com facas, com copos, com a televisão que quando ficava na parede ela se pendurava e agora que fica no rack, ela entra atrás e você já nem pode mais contar quantas vezes pegou as duas “no ar”?

É ter desistido de limpar as paredes riscadas e deixar juntar para no fim do ano pintar a casa inteira?

É sair com ela e ter que ficar correndo atrás até a hora de ir para casa simplesmente por ela correr o tempo todo sem nem se importar se vai sumir de você ou se está vindo um carro que pode atropela-la? É ir embora logo depois de chegar de cansaço?

É pegar ela no colo e ela ficar se jogando o tempo inteiro? É pegar na mão e ela querer se soltar o tempo todo?

É não ter tempo de fazer comida e engordar e gastar mó dinheiro com delivery e drive thru?

É barulho de choro, grito, batuque, música infantil da hora que a gente acorda até a hora que A CRIANÇA dorme, principalmente por não querer dormir mesmo não se aguentando em pé mais?

É em dia de desespero por ela não dormir, coloca-la dentro do carro, rodar mais de uma hora de madrugada, com sono e o estomago roncando por não ter conseguido parar para comer desde a hora que ela chegou da escola, para ver se ela dorme e ela não dormir?

É, depois de anos passando por isso tudo e fazendo tudo quanto é tipo de estratégia que qualquer pessoa possa imaginar para ela dormir, ir na farmácia de madrugada para comprar um sonífero E ELE NÃO FAZER EFEITO?

É falar com ela inúmeras vezes por dia e ela não entender, não obedecer, achar que você está brincando? É colocar de castigo e não ver qualquer tipo de melhora até por ela não ficar no castigo?

É se segurar um milhão de vezes por dia para não gritar, não bater e só faltar explodir de tanto implodir?

É chegar na metade do dia e não ter mais energia e o e-mail cheio, várias ligações perdidas no celular, pendências que não se pode nem mais contar, a casa de pernas para o ar, tudo sujo, comida para fazer, roupa para lavar, cachorro querendo passear e você nem ter passado perto de um pente e uma escova de dentes e isso depois de ter dormido sem tomar banho no sofá com o pescoço todo torto e ter amanhecido com o corpo inteiro doendo?

É viver tudo isso e muito mais todos os dias sem um dia de folga, sem nenhum suporte da família e se tratando de uma doença?

É se pegar num canto chorando por estar cansada de passar nervoso? Por estar esgotada de estar esgotada?

“Quem pariu Mateus que o embale.” É…

Eu não sei como é ser mãe de uma criança típica, mas ser mãe de uma criança atípica é, bem por cima isso tudo e eu confesso para você que embora eu saiba que muitas mães passam por diversas dessas situações, afinal, maternidade real é isso e muito mais e não o que a maioria das pessoas gostam de mostrar, não exclui o fato de que por mais que eu ame a minha filha com todas as minhas forças, que tenhamos momentos muito gostosos e felizes, pois existem sim dias mais leves, estou cansada de ser mãe.

Fazer um comentário