Não coloque a beleza de sua criança à prova

Eu costumo dizer que meu transtorno alimentar começou aos 13 anos, quando comecei a vomitar comida, mas não é verdade. Começou aos 6/7, quando comecei a competir com outras meninas pelo posto de “mais bonita”. Aos 13, ao engordar dois quilos, eu só tive a certeza cega de que precisava reverter aquilo a qualquer custo. Aos 15 a doença já estava estabelecida e eu só sairia desse buraco quase 15 anos depois. Mesmo assim, sou parte de um grupo estimado em 50%.

Metade dos bulímicos nunca se recupera.

Ontem falei novamente sobre isso com meus pais e mais uma vez eles desabafaram sobre como teriam feito tudo diferente se entendessem naquela época o que entendem hoje. Pra nós, os anos e as oportunidades perdidas não voltarão, mas ainda pode ser cedo para você. Você pode entender HOJE.

Uma criança é uma tela em branco e por muito tempo serão os pais que pintarão os tons que a acompanharão por anos e talvez até por toda a vida. Não coloque a beleza de sua criança à prova. Não crie nela o sentimento de dependência e apego pela aparência, não plante essa semente cujos frutos serão apenas insegurança, paranoia e dor.

Não elogie características que causem pressão pelo medo de serem “perdidas”. Nem mesmo inteligência. Elogie o esforço. Estimule o conhecimento, estimule a realização de sonhos.

E esteja alerta para garantir que sejam os sonhos dela, não os seus.

Mirian Bottan viveu boa parte de sua vida sofrendo com a bulimia e anorexia. Em seu processo de recuperação aprendeu muito e hoje sente a necessidade de compartilhar esses aprendizados com o mundo, partindo de suas próprias experiências, a fim de ajudar pessoas que também estão passando por esses problemas (algumas, sem nem ter ideia disso).

Fazer um comentário