In a Heartbeat: um filme necessário para ensinar as crianças a aceitarem os seus sentimentos

Desde o nosso nascimento somos obrigados a assumir comportamentos específicos para quem é do sexo feminino e para quem é do sexo masculino. Por exemplo, eu nasci com vagina, então, para a sociedade, obrigatoriamente tenho que gostar e me relacionar apenas com homens. Mas somos muito mais complexos e ilimitados do que isso.

Se durante a infância a criança comparar o que a sociedade dita como correto com o que ela realmente é e ver que é completamente diferente, o mais comum é ela ficar confusa e sofrer. Se ela não conseguir lidar com isso durante a vida, pode até desenvolver doenças mentais como depressão.

Estamos em 2017 e ainda não existe uma animação que fala do amor de uma pessoa pela outra, ambas do mesmo sexo e isso precisa acontecer. As pessoas precisam entender desde muito cedo que existe inúmeros formatos de relacionamento amoroso, elas precisam se aceitar como são, aceitar o outro como ele é, respeitar os seus sentimentos e os dos outros e tudo isso será natural se esse tipo de conteúdo fizer parte do dia a dia delas.

Note que ninguém ensina ninguém a ser hétero. É o que vemos em nosso dia a dia e se nos identificamos, simplesmente somos. Não mostrar outros formatos de amor vai trazer mesmo estranheza. E da mesma forma que ninguém ensina ninguém a ser hétero, também não ensina a ser gay, por exemplo. Se a pessoa se identificar, ela simplesmente será. E evitar que ela tenha contato com esse universo não fará com que ela se torne hétero se ela não é. Entende aonde quero chegar?

Beth e Esteban, estudantes sênior de animação por computador na Ringling College of Art + Design, tiveram a iniciativa de criar um filme que fala sobre um garoto que se apaixona por outro garoto. Quando se depara com o menino de seus sonhos, seu coração sai do peito e vai em busca do amor. É uma forma leve e muito bonitinha de abordar esse assunto e eu estou louca para assisti-lo.

Por enquanto só tem um teaser – que deixo na sequência para você assistir – mas ele será lançado ainda esse ano e é uma pena que não seja um filme grande e feito por grandes empresas como a Disney e Pixar (por causa do alcance, né?), mas quem sabe esse conteúdo chega até eles e vira inspiração? Seria MUITO incrível!

Acompanhe o projeto pelo Kickstarter e faça a sua doação para que ele possa acontecer da melhor forma possível.

Fazer um comentário