Foi lançado no YouTube o primeiro desenho animado totalmente em libras! #diadosurdo

Eu acho muito bizarro que em um país aonde o número de pessoas surdas é praticamente igual ao de habitantes de São Paulo (segundo o Ministério da Saúde) a gente não aprenda essa linguagem na maioria das escolas (na escola nova de Alice achei o máximo que eles aprendem junto com o alfabeto que todos aprendemos normalmente) e que não tenha legenda ou libras nas coisas.

Inclusive esse é um puxão de orelha em mim mesma, pois tenho um canal no YouTube e ele não é adaptado, só uns dois ou três vídeos que eu escrevi tudo o que eu falei e publiquei aqui no blog na época que eu não sabia colocar legenda. Eu poderia ter feito isso com todos. Hoje eu sei colocar. Não tenho desculpa, sabe?

Olha o tamanho desse número quando a gente pensa no mundo todo? Imagina que horrível deve ser viver em um mundo “silencioso”? Como isso deve ser difícil para as crianças? Não adianta ter musiquinhas infantis, por exemplo, falando sobre as diferenças e incluindo crianças surdas no clipe, se elas não podem entender o que está sendo dito ali.

Foi pensando nesse público que o Paulo Henrique Rodrigues – que trabalha há sete anos com animação e tem em seu currículo trabalhos em desenhos famosos como A Turma da Mônica e Sítio do Pica Pau Amarelo – decidiu criar um desenho todinho em libras (língua brasileira de sinais) com o objetivo de ensinar a linguagem às crianças e também mostrar que pessoas surdas tem as mesmas necessidades de quem tem a audição preservada. O desenho se chama o Min e as Mãozinhas. Paulo teve essa ideia depois que precisou se comunicar com uma pessoa surda e não conseguiu.

Outra coisa que eu achei muito legal: a Min, protagonista do desenho, é negra (oi representatividade) <3

O episódio piloto de Min e as Mãozinhas foi lançado quarta-feira no YouTube, data marcada pelo Dia do Surdo e deixo a seguir para você assistir, mostrar para as crianças, se inscrever e ativar o sininho para sempre saber quando lançarem vídeos novos. Não esquece também de compartilhar com os seus amigos. Esse tipo de coisa é utilidade pública das boazudas!

Se a gente que tem filho autista for parar pra pensar, é uma linguagem que nossos filhos podem adotar se sentirem mais facilidade do que falar, de fato. O importante é conseguirem se comunicar, não é? 😀

O Paulo está em busca de patrocínio para lançar mais 13 episódios, compartilhar também vai ajudar que ele consiga isso. Vamos lá? 😀

Ah! Me comprometo a colocar legenda nos meus vídeos a partir de hoje! Vou ver se é possível fazer isso nos vídeos que já foram publicados e caso seja, colocarei legenda neles também. Já será alguma coisa enquanto não aprendo libras 🙂

Fazer um comentário