Sobre o quanto nós, mulheres, precisamos adotar padrões pelo bem da nossa saúde

Celular funciona com padrões para poupar energia. Bem resumidamente, quando esses padrões são quebrados, ele gasta mais energia e a energia esgota se a gente não pára para carregar. Com o nosso cérebro e corpo é exatamente a mesma coisa.

É por isso que especialmente nós mães, donas de casa, esposas, empreendedoras, estudantes, gerenciadoras de absolutamente tudo (ainda estou falando de uma pessoa só rs) nos sentimos tão cansadas principalmente mentalmente e emocionalmente (pra mim, é pior que cansaço físico). São muitas situações diferentes no dia a dia para lidar. Pouquíssimas são iguais.

Há alguns meses estou me sentindo com o nível de energia no vermelho. Isso se reflete em tudo. E olha que eu peço ajuda, viu? O tempo inteiro. E uso a tecnologia pra caramba ao meu favor pra administrar algumas coisas por mim.

Dia desses, além de tudo, ainda estava me sentindo fisicamente esgotada também. Não podia parar agora. Resultado: o corpo cobrou legal. Fiquei doente.

Peguei uma virose (arrisco dizer que “ainda bem” rs) que me obrigou a descansar pelo menos fisicamente. Eu não conseguia nem ficar em pé por muito tempo. Mas a cabeça não parava um segundo. Bizarramente me sentia culpada por estar deitada com o tanto de coisas que eu precisava fazer. Resultado: Mal sarei da virose, agora estou com uma bactéria X lá. Hoje, uma dor de cabeça do cão, enjoo e nervos a flor da pele.

Não posso continuar assim.

Prometi pra mim mesma que vou reduzir o máximo de TUDO o que eu puder na minha vida, não só coisas como tenho feito há anos. Vou manter o máximo que eu puder de coisas no seu devido lugar (na verdade eu luto para isso há bastante tempo aqui em casa rs), etc.

Pessoas bem sucedidas tem esse costume. Poupam energia. Gastam no que precisa mesmo. É por isso também que elas são bem sucedidas.

Exemplo bobo: Roupa. Você já viu Steve Jobs com um modelo e cor de camiseta (reta, preta) e calça (jeans) diferente? Um exemplo brasileiro: Walter Longo. Já viu ele com outra cor de terno que não fosse preto ou camisa que não fosse preta ou branca? Nesses casos, eles não gastam (no caso do Jobs, gastava) energia escolhendo combinações de roupas. Já entrou no automático. É como quando você coloca a chave do carro em um lugar todos os dias e fica perdido(a) quando um dia, por qualquer motivo, ela não está lá.

Quanto menos escolhas a gente fizer, menos coisas a gente tiver (físicas, para administrar, etc), menos coisas teremos pra lidar, mais padrões, mais conforto, mais energia pra viver melhor, focar no que precisa de bastante energia e viverem melhor ao nosso redor.

Reflita.

Fazer um comentário