Papel de parede biodegradável

Acho que me acostumei com a parede da minha sala de jantar de São Paulo. Lembra como era?

Na casa aqui do litoral, ela é assim:

Gosto muito. Mas estou achando “clean” demais. Queria algo para a parede do outro lado, aonde fica o rack com a TV, sabe?

Pesquisando a respeito, encontrei um site chamado Papel de Parede dos anos 70, com papéis de parede incríveis! Eles são daqueles que precisa passar cola atrás, sabe? Não são adesivos. Eu já usei dos dois e a qualidade é muito superior, fora que tem a possibilidade de ter textura e tal.

Mas o que eu achei mais incrível de tudo (e por isso estou fazendo esse post), é que eles tem um dos primeiros modelos de papel de parede totalmente biodegradável e compostável. Eu nunca tinha ouvido falar disso na vida! Ele é feito inteiramente a partir de matérias-primas de origem vegetal que requerem apenas uma quantidade muito reduzida de água no seu cultivo. Eles também não usam corantes artificiais, então o papel de parede tem um tom natural, neutro e quente.

Olha que lindo!

Papel de parede compostável – Papel de Parede dos Anos 70

Como fica aplicado:

Papel de parede biodegradável – Papel de Parede dos Anos 70

Um produto com um ciclo de vida interminável

Nossa abordagem relativamente ao produto consiste no denominado ciclo de vida, ou seja, todas as matérias-primas contidas num produto podem ser reutilizadas repetidamente. O processo de produção, o uso e a reutilização são todos projetados para manter a qualidade das matérias-primas ao longo de vários ciclos de vida – uma mudança significativa comparado com os métodos de reciclagem tradicionais. Quando o nosso papel de parede Veruso Lino é decomposto através de compostagem, ele libera nutrientes preciosos. Os restos de papel de parede se transformam em matéria-prima para outro produto.

Além de tudo isso, ele tem absorção sonora (quem tem autista em casa como eu, sabe bem da importância disso), isolamento térmico (excelente especialmente para quem tem criança pequena), regulação de umidade (ou seja, maravilhoso para quem mora no litoral), é resistente (ninguém ter trocar de papel de parede todo ano, né? rs), tem baixa inflamabilidade (algo que nunca pensei que teria que me preocupar mas faz todo sentido), não tem risco para a saúde, enfim.

Ah! Ele também é muito fácil de tirar. Usa-se apenas com uma esponja úmida, o que me surpreendeu muito já que eu tive um trabalho IMENSO para tirar os papéis de parede adesivo que usei há um tempo (os que eu usei que não eram adesivos combinei com o proprietário de deixar), pois na hora de puxar ele não só rasgava, como estragava a parede.

Isso me fez ter que lixar ela inteira depois, passar massa aonde tinha feito buraco, fez uma sujeira surreal na casa toda pois as paredes eram de gesso e ficou aquele pó bem fininho, super difícil de limpar, me deu gasto com material, mão de obra, tempo perdido… Olha! Não gosto nem de lembrar para ser sincera rs

Como se não bastasse, eles tem uma COLA ORGÂNICA especial para papel de parede (as tradicionais impossibilitam, por exemplo, a reciclagem dos papéis de parede).

No site deles tem absolutamente tudo explicadinho tintin por tintin sobre tudo isso que mencionei aqui no post e muito mais. Vale muito a pena ler antes de decidir que papel de parede comprar para a sua casa e também para entender quais são os problemas dos modelos de papéis de parede convencionais.

Agora eles estão planejando desenvolver gradualmente outros modelos ecológicos de papel de parede. Todos eles atenderão aos requisitos de sustentabilidade. Que essa ideia tome o mundo, né?

E você? Já conhecia papel de parede ecológico e cola orgânica para papel de parede?

Fazer um comentário