Final de semana na Vila Madalena

Lá se vão dez meses que nos mudamos para o litoral sul de São Paulo novamente, mas sempre que podemos, estamos na capital, seja à trabalho, seja dando algum rolê, fazendo algum roteiro cultural, gastronônico ou – na maioria das vezes – etílico mesmo.

Dia desses fomos para passar um fim de semana de casal, sem levar Alice, ficar um pouco juntos à medida que damos um descanso nas obrigações rotineiras de trabalho e dos compromissos de família. Se tem uma coisa que todo relacionamento precisa é dessa folga, viu? Faz um bem danado! A gente precisa sempre lembrar que antes de pais e mães, somos homens e mulheres, maridos e esposas, namorados e namoradas (além de todas as outras combinações possíveis em qualquer gênero). Enfim, a ideia era sair sem muito roteiro, fazer coisas que normalmente não fazemos em casa (moramos numa cidade com poucas opções), antes do Mano viajar à trabalho e passar mais uma semana fora (isso tem acontecido nos últimos tempos).

Fomos para a Vila Madalena e fizemos aquele rolezinho clássico no Beco do Batman, que não sei se você conhece, mas é basicamente uma galeria de arte a céu aberto. É um lugar maravilhoso, com artistas independentes e inspiradores.

Entre as diversas pessoas legais que paramos para conversar, estava um rapaz nordestino que faz drinks que você pode escolher na hora e ele adoça com rapadura. Aff! De beber de joelhos de tão bom.

Passeamos também no EcoBeco, um lugar aonde você pode comprar várias coisinhas legais como pimentas especiais, drinks, plantinhas, decoração feita à mão ao mesmo tempo que descobre soluções ecológicas para o dia a dia em uma casa, por exemplo. Almoçamos no São Conrado barzinho com pinta Carioca – como o próprio nome denuncia -, fizemos comprinhas diversas, etc. Foi bem legal.

Na única noite que tínhamos disponível, fomos voltamos para a Vila Madalena que é um dos points noturnos de São Paulo. Queríamos dar uma volta e conhecer alguns bares, mas estava tão movimentado que acabamos ficando no primeiro lugar que encontramos mesa.

Fiquei impressionada com a quantidade de gente. Aquele pedaço que fomos eu não conhecia, só tinha ido em lugares mais tranquilos do bairro. Acabou sendo bem divertido, cheio de gente bonita e animada, bebendo, comendo, dançando, conversando. Eu não tinha ideia do quanto estava precisando dessa “muvuca”. Trabalhar em casa nem sempre é mar de rosas rs E é muito louco o quanto coisas tão simples fazem uma diferença brutal em nossas vidas, e acabam por nos dar um novo gás, ficamos prontos para voltar à nossa rotina por mais um tempo.

O bar escolhido foi o Salve Jorge, bem no estilo do Pirajá e do São Conrado (tanto que eu até pensei que era da mesma rede e fui pesquisar, mas não é) aquele bar que falei aqui no blog uma vez, lembra? Galpãozão aberto, mesas de madeira, luz intimista, cerveja geladíssima, música, esporte rolando nas TVs, atendimento maravilhoso, bem ventilado e bem localizado (na Aspicuelta, boca do inferno hahaha).

O que nos surpreendeu muito foi o quanto estava cheio de gente e mesmo assim os nossos pedidos chegaram super rápido, não só de bebidas mas também o tira-gosto que pedimos – isca de frango no cone, recomendo, uma delícia, bem temperado, crocante, molhinhos deliciosos acompanhando.

Além disso, pedi também um Blood Mary, que eu tenho que beber em todo lugar que eu vou hahaha Estava simplesmente perfeito.

Sempre tem uma coisa ou outra para incomodar, como um heterotop de moto com outro heterotop na garupa dando voltas no quarteirão e parando na frente do bar acelerando MUITO alto no meio da rua – depois dizem que gays é que gostam de chamar atenção. Mas nada que realmente tenha estragado a experiência. Foi um final de semana super agradável ao lado do meu amor, boa comida, bebida gelada, conversa bacana, clima legal, gente bonita ao redor e um atendimento massa! Parabéns pro Salve Jorge, recomendo muito e com certeza voltaremos.

E com essa mistureba toda de bebidas o final de semana inteiro, não me surpreenderia termos uma ressaca daquelas! Só que foi tranquilo por que eu gosto de seguir sempre esses métodos naturais para evitar, então quando voltamos estávamos prontos para outra – que inclusive será em muito breve! Queremos muito fazer esse tipo de coisa pelo menos uma vez por mês, principalmente por estarmos ficando longe um do outro com uma certa frequência agora. Esperamos conseguir.

Para quem gosta de vídeo, em breve vou publicar no canal um vlogzinho desse dia, tá?

Fazer um comentário